Visões Cruzadas sobre a Contemporaneidade

Rede Internacional Interdisciplinar de Estudos

Atividades da Rede - 2018

Debate sobre o Futuro da Europa | Encontro com os Cidadãos

9 a 10 de novembro de 2018

DEBATE SOBRE O FUTURO DA EUROPA

ENCONTRO COM OS CIDADÃOS

A Revolução Tecnológica: desafios éticos e de valores

9 E 10 DE NOVEMBRO DE 2018

(Auditório da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra | Rua do Brasil 131, 3030-175 Coimbra (40º12'06.3''N 8º25'04.1''W)

Na sequência de uma proposta francesa, a União Europeia, lança uma série de debates, que decorrerão de Maio a Dezembro de 2018, sobre a União Europeia e o seu futuro. O Governo português, que aderiu à iniciativa, coopera na organização de 9 grandes debates, por todo o país. O debate da Região Centro será liderado pelo Grupo Investigação Europeísmo, Atlanticidade e Mundialização do CEIS20- UC, sob a coordenação de Álvaro Vasconcelos e Isabel Maria Freitas Valente, em parceria com as Universidades da Beira Interior e de Aveiro, e em colaboração com o CEDOUA, a AEEC, o CIEDC; a CIM, Associações empresárias, ONG's.

A iniciativa europeia, que partiu de França, foi anunciada pelo Presidente Macron, na Sorbonne, num discurso intitulado Uma Iniciativa para a Europa: Unida, soberana e democrática, no qual relembrou a centralidade da paz no projeto europeu, mas também da prosperidade e da democracia, sublinhando que foi esse o sentido da adesão de Portugal, da Espanha e da Grécia, nos anos 70 e, mais tarde, dos países da Europa Central.

É forçoso constatar, como o fez o Presidente francês ao lançar a iniciativa europeia, que a União Europeia enfrenta enormes desafios que podem pôr em perigo o seu futuro, como o da democracia, o da segurança, o da preservação do seu modelo social, o da ecologia, o da inovação. Sobre todas estas grandes questões, muitas vezes interligadas [entre si], os cidadãos esperam mais da União do que ela tem sido capaz de dar. É imperioso superar este déficit de expectativas, também porque, estas exigências cidadãs, acompanhadas por manifestações de descontentamento, são hoje muitas vezes canalizadas por correntes populistas, que propõem soluções nacionalistas para aqueles desafios.

O debate Iniciativa cidadã, que decorrerá na região centro de Portugal, ciente de que o quadro nacional é regra geral insuficiente, tem como objetivo contribuir para a identificação de soluções para os desafios que enfrentam as democracias europeias.

O tema que será abordado pelas instituições da região centro, no debate proposto, é o da inovação tecnológica, nomeadamente da revolução digital - que tem uma profunda implicação na economia, na sociedade, mas também no nosso futuro democrático.

Para organizar a discussão identificamos 4 grandes temas:

  • Inovação territorial e territórios inteligentes (coord. Alexandra Aragão, FDUC / CEIS20-UC)

  • A transição digital, sociedade de informação e robótica: desafios éticos (coord. Álvaro Vasconcelos e Isabel Maria Freitas Valente, CEIS20-UC)

  • A economia digital nas prioridades europeias (coord. Marta Ferreira Dias, UA)

  • Audiovisual europeu no mercado global (coord. Liliana Reis, UBI)

Pretendemos enquadrar estes temas em debate com os demais temas em discussão no quadro da iniciativa europeia, de forma a contribuirmos para uma visão integrada das políticas da União e das suas prioridades atuais.

Esta será também uma iniciativa cidadã que mais do que promover o ideal europeu, procurará recolher o maior número possível de contributos de especialistas nas áreas em discussão. Para tanto, será designada uma instituição por cada uma das 4 áreas, que será responsável pela dinamização da discussão e pela recolha de contributos. A coordenação de cada grupo promoverá, ainda, eventos que contarão com a chancela desta iniciativa.

Os resultados serão apresentados e discutidos em grupos de trabalho numa conferência final, que se desenrolará em 3 partes:

- uma sessão de abertura com uma intervenção de fundo;

- duas sessões plenárias para apresentação dos grupos de trabalho criados para o efeito, e

- uma sessão final de discussão de uma visão conjunto e integrada das principais conclusões dos grupos de trabalho.


Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

IX Jornadas Nacionais de História e Filatelia: O Mar nas Peças Filatélicas

25 de outubro de 2018

Colóquio "Os Maios de 68 e o futuro da Europa

23 de novembro de 2018

Colóquio: Os Maios de 68 e o futuro da Europa

Grupo de Investigação Europeísmo, Atlanticidade e Mundialização do CEIS20-UC / Fórum Demos.

Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 23 de Novembro de 2018.

O objetivo deste colóquio é discutir as heranças de 68, nomeadamente, no contexto do debate europeu atual. Paul Ricoeur, reitor da Universidade de Nanterre - onde a revolta estudantil começou -, referindo-se aos acontecimentos de 68, escreveu na revista Esprit: "O Ocidente entrou numa revolução cultural (...) porque questiona a visão do mundo, a conceção de vida subjacente à economia, à política e ao conjunto das relações humanas. (...) Uma revolução que ataca o niilismo de uma sociedade que, tal como um tecido canceroso, não tem outro objetivo que não seja o crescimento". Porém, o desejo de liberdade e de uma sociedade mais justa não se fez sentir só no Ocidente, tendo assumido formas muito diversas pelo mundo, como por exemplo, a primavera de Praga que foi um outro Maio europeu, que foi um "desejo de Ocidente". O regresso à Europa, o slogan da revolução de veludo de 1989, fazia parte das aspirações checoslovacas de 1968 - escreveu Jacques Rupnick. As utopias democráticas e sociais dos anos 60, 50 anos depois, são postas em causa pelos abalos provocados pela crise financeira e pela emergência do populismo, o que justifica revisitar aqueles anos, na perspetiva de procurar entender as tendências que, desde então, forjam o futuro da Europa.

Coordenação Científica: Álvaro Vasconcelos e Isabel Maria Freitas Valente

Comissão Organizadora: Isabel Maria Freitas Valente e Marina Azevedo Leitão

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

II Seminário Internacional: Que Direitos Fundamentais para o Século XXI?

18-19 de setembro de 2018

No âmbito da evocação dos 70 Anos da aprovação da Declaração Universal dos Direitos do Homem pela Assembleia Geral das Nações Unidas, reunida na sua terceira sessão, em Paris, a 10 de dezembro de 1948 e dos 40 anos da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos, o Grupo de Investigação Europeísmo, Atlanticidade e Mundialização do CEIS20 organiza o II Seminário Internacional "Que Direitos Fundamentais para o Século XXI?"


O Seminário decorrerá nos dias 18 e 19 de setembro de 2018, no Auditório Paulo Quintela, em Bragança.


A coordenação científica está a cargo da Professora Doutora Isabel Maria Freitas Valente.

ntegram a Comissão organizadora Élia Correia, Isabel Maria Freitas Valente, Marina Azevedo Leitão e Maria das Graças Nascimento.

Debate Fórum Demos. Secessionismo Catalão: Ameaça ou Reforço da Democracia Liberal?

17 de setembro de 2018


O Fórum Demos, em colaboração com a Cooperativa Árvore, o grupo de investigação Europeísmo, Atlanticidade e Mundialização do CEIS20 - UC e a Visões Cruzadas sobre a Contemporaneidade - Rede de Estudos Interdisciplinar, promove um debate, desta vez dedicado ao tema do "Secessionismo catalão: ameaça ou reforço da Democracia Liberal?", com a participação de José Blanes Sala (Professor na Universidade Federal do ABC - UFABC), Marina Azevedo Leitão (Doutoranda em Estudos Contemporâneos no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra - CEIS20-UC) e Sofia Lorena (Jornalista no jornal Público), e a moderação de Álvaro Vasconcelos.

Em debate: Com novos protagonistas políticos, a 'questão catalã' continua na ordem do dia. Porque quer, afinal, a Catalunha tornar-se independente de Espanha? Que paralelismos existem entre o nacionalismo catalão e o nacionalismo escocês? Que ameaças representam os nacionalismos identitários à democracia na Europa? Será a proposta de um novo Estatuto de Autonomia solução bastante para o fim da crise catalã? Estes serão alguns dos temas a ser discutidos neste fórum.

Seminário Internacional "Democracia e Cidadania num mundo em transição"

21-22 de maio de 2018


Teve lugar nos dias 21 e 22 de maio de 2018, no Salão de Leitura da Escola de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo - Campus Rudge Ramos, o Seminário Internacional "Democracia e Cidadania num mundo em transição".


Questões fundamentais contemporâneas, como poderes do Estado, direitos humanos e competências digitais foram abordadas no evento.


Além disso, foi também lançada a VCC: Visões Cruzadas sobre a Contemporaneidade - Rede de Estudos Interdisciplinar, que é uma rede temática internacional, criada em parceria entre Universidade Metodista de São Paulo, a Universidade de Coimbra e Instituto Brasileiro de Direito Constitucional. O projeto visa ações de investigação e pesquisa no âmbito da Contemporaneidade, além de promover a interdisciplinaridade.